Olá!

A casa é sua

terça-feira, 9 de julho de 2013

O custo sem valor

Quanto vale uma vida?
Não, perdão... Valor, não.
Quanto custa uma vida?
Custo: Despesas, desembolso, o que se paga, gasto, dificuldade, fadiga.
A vida as vezes pesa tanto que deixa de ter valor e passa a ter custo.

Custo a dormir.
Custo a acordar.
Custo a levantar.
Custo a parecer acordada.

Tudo que tem valor, não tem espaço.
Tudo que se faz com sorriso, não tem momento.
Corre no que se gosta.
Aquieta no que se pesa.

Valor riso.
Valorizo.
Que me soltem o riso.
Que se prenda o ouriço... e seus espinhos.

Levanto-me todos os dias o mesmo horário.
Levantam-me.
Acordada? Não. De olhos abertos.

Deito-me todos os dias, não no mesmo horário.
Não tem momento para isso.
Durmo? Nem cheguei a despertar.

Sonho o mundo, sonho meus sonhos.
Todos aceitamos o presente doloroso contanto que nos permita os sonhos.
Hoje, esforço.
Amanhã, também.

O sonho não chega.

Penso que, talvez, a maior tragédia dessa vida
É o tempo que a gente passa correndo atrás do vento.
E não há libertação, não há.

O despertador soou...
Não há mais tempo para palavras.
Adeus.

Um comentário:

  1. Puxa, puxa que puxa! Está escrevendo cada vez melhor! amora linda! <3

    ResponderExcluir